O Vírus Woke é Uma Ameaça Global

O Vírus Woke é Uma Ameaça Global

Imagem acima obtida no site timefortruth.blog.

Tradução de um artigo do blog Time for Truth.

Link do original em inglês https://timefortruth.blog/2021/06/09/the-woke-virus-is-a-global-threat/


Por Laszlo em 9 de junho de 2021.

O vírus Woke é a maior ameaça à civilização hoje, tem o potencial de acabar com a liberdade em todos os lugares. Em “A Cultura Woke: Suas Origens e Agendas”, foi descrito como a Cultura Woke, se escondendo atrás de uma cortina de fumaça de justiça social, ataca e cancela qualquer um que questione suas agendas. Seu objetivo é eliminar vozes opostas e forçar todos a concordar com elas, para alcançar a conformidade ideológica.

Os objetivos da cultura woke são: eliminar a família nuclear e o cristianismo, abolir nossa constituição e o capitalismo, tornar as crianças transgêneros e eliminar o binário de gênero (homem-mulher). Eles querem dividir os americanos, transformando todos em vítimas e opressores, querem desfinanciar a aplicação da lei e libertar criminosos violentos da prisão, enquanto se recusam a processar crimes, permitir imigração aberta e ilimitada, cancelar propriedade privada e posses pessoais, re-escrever história, cancelar livros e filmes e promover a depravação moral.

Essa é uma longa lista de agendas radicais, que parecem ter sido sonhadas por algumas pessoas desequilibradas ou mentalmente doentes. Mas é mortalmente sério, a Cultura Woke já permeou todos os aspectos da sociedade: política, academia, mídia, entretenimento e grandes negócios.

No espectro político, Wokeness corresponde à Extrema Esquerda, ou “Progressistas”. Na década de 1960, todos os olhos estavam voltados para o Partido Comunista nos EUA. Suas agendas foram expostas e eles se renomearam como progressistas, para enganar o público. A extrema esquerda constitui uma minoria no Congresso, mas domina o presidente Biden e as políticas do governo refletem agendas “progressistas” desde sua posse. A maioria dos políticos de ambos os lados do corredor são muito complacentes e não se opõem aos radicais.

A partir dos anos 90, os currículos mudaram nos campi universitários e se politizaram. Os métodos de ensino passaram a se basear em questões relativas à raça, classe e gênero. Os alunos foram ensinados que os Estados Unidos são um país racista e intolerante. Isso é Política de Identidade e é baseado na ideologia marxista. O marxismo se disfarça de justiça social, mas sua real intenção é dividir e polarizar os americanos. As instituições educacionais, que já foram os bastiões da liberdade de expressão, vêm sufocando a liberdade de expressão, radicalizando os alunos e doutrinando-os na mentalidade marxista de vítima – opressor.

Aqueles que controlam o fluxo de informações têm uma tremenda influência na opinião pública. O potencial que a mídia tem para controlar a mente das pessoas foi descoberto há um século e foi aperfeiçoado desde então. Quase toda a mídia mainstream e as empresas de mídia social Big Tech são promotoras da cultura Woke. Facebook, Twitter, Youtube e Google afirmam defender a liberdade de expressão, mas excluem conteúdo, desplataformam (cancelam/removem) seus usuários e consideram qualquer coisa “informação falsa”, que não esteja de acordo com sua agenda woke.

“No Futuro, Você Não Terá Nada e Será Feliz” é um slogan que temos visto na mídia. Nenhum detalhe foi dado pelas celebridades woke milionárias, ou atletas estrelas, que transmitiram a mensagem, ou se estão dispostos a desistir de suas mansões de Hollywood Hills para liderar pelo exemplo.

Quando as pessoas não possuem nada, elas dependem do governo para tudo e não estão mais no controle de suas vidas. É por isso que o comunismo não permite a propriedade privada e essa é a razão por trás desta campanha. Tomar posses pessoais à força encontraria resistência, então eles estão fazendo lavagem cerebral nas pessoas para consentir com isso.

Desde que o movimento de desfinanciar a polícia começou no verão de 2020, o crime aumentou significativamente em todas as grandes cidades dos EUA. Os tiroteios aumentaram 79% em Chicago, os homicídios aumentaram 93% em Minneapolis e 800% em Portland. Toda semana há mais um relato de uma criança negra tendo sido baleada. O desfinanciamento da aplicação da lei prejudica aqueles que vivem no centro da cidade, as pessoas, com as quais a Cultura Woke afirma se importar.

Ao mesmo tempo, promotores “progressistas” se preocupam mais com os criminosos do que com as vítimas e se recusam a processar por crimes menores, como furtos em lojas. Recentemente eleito procurador do distrito de Los Angeles, George Gascon anunciou seus planos para libertar 75.000 presos mais cedo, que cometeram crimes violentos.

Na área da Baía de São Francisco, 11 lojas Wallgreen fecharam porque os ladrões entravam e saíam livremente de suas lojas. A Cultura Woke quer ilegalidade e anarquia, porque para “refazer a sociedade” à sua própria imagem, o que significa criar um estado socialista/comunista, primeiro o sistema existente precisa ser destruído.

Esta é também a verdadeira razão pela qual os monumentos foram derrubados, os regimes totalitários sempre reescrevem a história. Uma vez que as pessoas esquecem sua história, elas não têm mais um ponto de referência e estão mais inclinadas a aceitar o que lhes é imposto.

Fronteiras abertas e imigração ilimitada é outra grande prioridade para a cultura woke dos Progressistas. Isso é apresentado ao público, como um ato humanitário, dando um novo lar àqueles que escapam da violência e da perseguição. O público é informado de que os muros são racistas e, portanto, todos têm o direito de entrar livremente nos Estados Unidos.

Dois terços das mulheres migrantes relatam agressão sexual no caminho, tanto mulheres quanto crianças correm risco de abuso e estupro. Crianças de até 4 anos são abandonadas pelos contrabandistas em solo americano e deixadas lá sozinhas. Não há nada de “compassivo” em uma política de fronteiras abertas. A verdadeira razão pela qual os progressistas woke querem eliminar as fronteiras é porque o objetivo final do marxismo é criar um estado socialista global. Para conseguir isso, as soberanias nacionais devem primeiro ser eliminadas. (os pedófilos em lugares altos também precisam de um suprimento constante de menores)

Os nazistas tinham uma divisão especial, chamada de “camisas marrons”. Esses bandidos foram encarregados de impor a ideologia nazista, eles interrompiam as reuniões dos partidos opostos, intimidavam os alemães para que cooperassem. Hoje nos Estados Unidos, a Cultura do Cancelamento lembra os camisas marrons, é a executora da ideologia Woke. Aqueles que se atrevem a pensar diferente são cancelados e suas vidas destruídas.

Mesmo personagens de desenhos animados inofensivos, como o príncipe beijando Branca de Neve, foram considerados ofensivos pela cultura Woke. E olha, o nome dela é Branca! Minha nossa, isso não é diverso! Ainda mais bizarro é que programas, como “WAP” de Cardi B, esfregar vaginas na televisão nacional é um entretenimento familiar aceito no horário nobre.

Absurdos, como esses, podem ser explicados, quando a cortina é puxada e as verdadeiras cores da Cultura Woke são reveladas. Leia uma análise mais detalhada das raízes marxistas da cultura Woke aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.